Vidas

Por Dani Raphael

Em quanto me afogo no meu mundo covarde, o menino da esquina grita:
_Corre!
Dentro desta caixa estampada com flores,
Não vejo maior que minhas dores,
Nada, além do supérfluo que se faz real.
Enquanto brinco com o dicionário de palavras difíceis,
O menino na escrita chora,
Por não saber ler.
Mundos fechados, como os meus existem aos montes,
Tão rijos que deixam de ser engolidos pela massa
Mas jogam diariamente seus escretos pelas valas,
Onde o menino ainda grita:
– Ele não fez nada, só queria um pedaço de pão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: