Não foi nada

Por Erica Gil Na busca da frequência altero a música e manipulo os passos.A chuva forte molha a minha varanda, reparo o calendário e sei que o sol pode voltar amanhã. Melodia sem ritmo, surgem perguntas clareando o presente, guardei o que restou das cartas amarelas.Observo os meus olhos cansados no reflexo do vidro, pergunto... Continuar Lendo →

Ilusório

Por Erica Gil Esgotei a tinta escrevendo poemas de amor na parede do meu quartoInquietas palavrasSem ritmosSem rimasEnxergava você inteiro em cada estrofeSaiu dos versosAcariciou meu rostoDeixando encabuladaUma narrativa agradávelVocê estava ali e nem sabiaTudo ilusórioEu descrevendo um ser apoéticoCom um amor patético.

Silêncio

Por Erica Gil Devo passar pela sala escura dos meus pensamentos.Você está sentado esperando que eu diga qualquer coisa, nem os olhos se cumprimentam.Estou no outro canto observando.Vejo uma luz no final do corredor. Existe uma porta de saída em outro tempo, e sei que depois daquela porta posso gritar, clamar.Agora não, porque aqui não... Continuar Lendo →

84 Dias

Por Erica Gil Acordo às 6h com o sol na minha janela dando bom dia.Fico encantada com o pássaro que pula de galho em galho com canto doce no amanhecer.Rabisco os 84 dias no calendário, e com a letra tremida deixo a frase: "Aguente firme!"Meus passos lentos pela casa, imagino como um grão de areia... Continuar Lendo →

Alternativas

Por Erica Gil Corro na noite vaziaO céu sem corA tempestade não vai emboraUns dançam nos baresOutros caminham entre lágrimas e lembrançasSem direçãoTudo continua em vãoQuero um abraço amigoSem entender os perigos e alternativasPreciso ter um plano ou um antídoto Pergunto se o outono vem diferenteCom algum despertarPiscar os olhos e o mundo ser modificado... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora