Ilusório

Por Erica Gil Esgotei a tinta escrevendo poemas de amor na parede do meu quartoInquietas palavrasSem ritmosSem rimasEnxergava você inteiro em cada estrofeSaiu dos versosAcariciou meu rostoDeixando encabuladaUma narrativa agradávelVocê estava ali e nem sabiaTudo ilusórioEu descrevendo um ser apoéticoCom um amor patético.

Silêncio

Por Erica Gil Devo passar pela sala escura dos meus pensamentos.Você está sentado esperando que eu diga qualquer coisa, nem os olhos se cumprimentam.Estou no outro canto observando.Vejo uma luz no final do corredor. Existe uma porta de saída em outro tempo, e sei que depois daquela porta posso gritar, clamar.Agora não, porque aqui não... Continuar Lendo →

Alternativas

Por Erica Gil Corro na noite vaziaO céu sem corA tempestade não vai emboraUns dançam nos baresOutros caminham entre lágrimas e lembrançasSem direçãoTudo continua em vãoQuero um abraço amigoSem entender os perigos e alternativasPreciso ter um plano ou um antídoto Pergunto se o outono vem diferenteCom algum despertarPiscar os olhos e o mundo ser modificado... Continuar Lendo →

Só por hoje

Por Erica Gil Só por hojeQuero sonhar e ser felizVou deixar a alegria tomar contaQue seja por um minutoVou ganhar o mundoCorrer no campoSentir o vento Colher floresBrincar com as criançasAbraçar as lembranças Quero sonhar e ser felizAgoniada de caminhar entre os olhares ácidos e convencidos Cansada da vida metidaQue revela apenas as partidasQuero sonharPara... Continuar Lendo →

Questionar

Por Erica Gil A vida pergunta e eu não sei questionar.Vejo a trilha e não ostento. Gosto dos pés descalços, procurar borboletas e dançar em outros ritmos.Mergulho no mar revolto, pensamentos descontrolados.O corte aberto, sangro, abraço a coragem e olho com o coração.Não sei questionar.É tanta alma para o mundo derrubar.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora