Ilusório

Por Erica Gil Esgotei a tinta escrevendo poemas de amor na parede do meu quartoInquietas palavrasSem ritmosSem rimasEnxergava você inteiro em cada estrofeSaiu dos versosAcariciou meu rostoDeixando encabuladaUma narrativa agradávelVocê estava ali e nem sabiaTudo ilusórioEu descrevendo um ser apoéticoCom um amor patético.

84 Dias

Por Erica Gil Acordo às 6h com o sol na minha janela dando bom dia.Fico encantada com o pássaro que pula de galho em galho com canto doce no amanhecer.Rabisco os 84 dias no calendário, e com a letra tremida deixo a frase: "Aguente firme!"Meus passos lentos pela casa, imagino como um grão de areia... Continuar Lendo →

Alternativas

Por Erica Gil Corro na noite vaziaO céu sem corA tempestade não vai emboraUns dançam nos baresOutros caminham entre lágrimas e lembrançasSem direçãoTudo continua em vãoQuero um abraço amigoSem entender os perigos e alternativasPreciso ter um plano ou um antídoto Pergunto se o outono vem diferenteCom algum despertarPiscar os olhos e o mundo ser modificado... Continuar Lendo →

Questionar

Por Erica Gil A vida pergunta e eu não sei questionar.Vejo a trilha e não ostento. Gosto dos pés descalços, procurar borboletas e dançar em outros ritmos.Mergulho no mar revolto, pensamentos descontrolados.O corte aberto, sangro, abraço a coragem e olho com o coração.Não sei questionar.É tanta alma para o mundo derrubar.

Não tem graça

Por Erica Gil A velha história, posso te contar. Tudo vago, impossível se alegrar.Aqui é doença, tiros, economia perdida, lágrimas, gritos da descrença e discurso sarcástico. Não posso ficar indiferente comemorandoo brilho da desgraça, e o poder achando graça. Não é um pesadelo ou um livro triste.É a nossa realidade infeliz.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora